sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Alfavaca (Ocimum basilicum L.)

Pertencente à família das Labiadas, é uma planta de odor agradável que produz ponteiros floridos e muito ornamentais. Seu cultivo é muito simples em canteiros, vasos e jardineiras porém, é essencial que a planta receba luz solar direta na maior parte do dia. A propagação pode ser feita por meio de sementes ou mudas com boas raízes. A mistura de solo ideal para o plantio é composta de 2/3 de terra comum e 1/3 de adubo orgânico. Quanto às regas, devem ser freqüentes sem, contudo, deixar a terra encharcada, pois o excesso de umidade irá favorecer a proliferação de fungos. Dica de secagem: a alfavaca costuma perder parte de seu aroma depois de seca. Quando a finalidade for a secagem, o ideal é colher os ramos duas a três semanas antes da floração, amarrar em pequenos maços e pendurar com as folhas para baixo em local arejado e com pouca luminosidade.

JARDIM AROMÁTICO

Alecrim (Rosmarinus officinalis L.)

Planta pertencente à fam¡lia das Labiadas, muito fácil de ser cultivada em canteiros e vasos. O plantio por meio de sementes é muito demorado, por isso recomenda-se a multiplicação por mudas ou estacas de galho (medindo cerca de 15 a 20 cm). O alecrim se desenvolve bem em solos leves e bem drenados, mas o essencial para o seu desenvolvimento é receber sol direto em boa parte do dia. As regas devem ser escassas, sem encharcamento e, para garantir sua floração, recomenda-se abrigar a planta contra ventos fortes. A colheita dos ramos mais novos favorece a rebrota.
Dica para secagem: amarrar pequenos maços de alecrim e pendurar com ramos para baixo, em local sombreado e arejado.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

CINERÁRIA


Ótima planta para as pessoas que apreciam fazer jogos de cores no jardim. A cinerária é uma planta incomum. Sua folhagem é cinza esbranquiçada de textura aveluda, com folhas profundamente recortadas. Forma excelentes maciços e bordaduras nos jardins, alterando e quebrando às cores convencionais. Pode ser utilizada em composições com flores coloridas em jardineiras resultando em um efeito bastante interessante.

Devem ser cultivadas a pleno sol, em solo composto de terra de jardim e terra vegetal, com regas regulares. Tolerante ao frio. Necessita reforma bienal. Multiplica-se por estaquia.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

BROMÉLIAS


A família das Bromeliáceas abriga mais de 3000 espécies e milhares de híbridos. Com uma única exceção, todas são nativas das Américas, sendo que o abacaxi é a mais popular delas. Só no Brasil, existem mais de 1500 espécies.
As bromélias não são parasitas como muitas pessoas pensam. Na natureza, aparecem como epífitas (simplesmente apoiando-se em outro vegetal para obter mais luz e mais ventilação), terrestres ou rupícolas (espécies que crescem sobre as pedras) e compõem uma das mais adaptáveis famílias de plantas do mundo, pois apresentam uma impressionante resistência para sobreviver e apresentar infinitas e curiosas variedades de formas e combinações de cores.
As bromélias estão divididas em grupos chamados gêneros - que hoje são mais de 50. A maioria das espécies de um mesmo gênero tem características e exigências iguais. Gêneros diferentes requerem diferentes variações de luminosidade, rega e substrato. No cultivo, os gêneros mais comuns são:

•AECHMEA
•BILLBERGIA
•CRYPTANTHUS
•DYCKIA
•GUZMANIA
•NEOREGELIA
•NIDULARIUM
•TILLANDSIA
•VRIESEA

As bromélias crescem em quase todos os solos, levemente ácidos, bem drenados, não compactados e que propiciem condições de bom desenvolvimento para o sistema radicular. O substrato deve ter partes iguais de areia grossa ou pedriscos, musgo seco (esfagno) ou xaxim e turfa, ou mesmo húmus de minhoca. O importante é que a mistura possibilite uma rápida drenagem. Cryptanthus e Dyckias crescem bem no mesmo tipo de mistura, acrescentando-se, ainda, uma parte de terra ou folhas secas moídas.

As bromélias gostam de ter suas raízes molhadas, mas sempre de forma bastante moderada, o mais importante é molhar as folhas e manter sempre o tanque central com água. Quando a temperatura ambiente estiver muito alta, borrife com água as folhas, mas nunca sob luz solar direta e nas horas mais quentes do dia. Plantas de folhas macias apreciam ambiente mais úmido do que plantas de folhas rígidas.

As bromélias florescem somente uma vez durante seu tempo de vida. Após a floração, a planta geralmente desenvolve uma brotação lateral que substituirá a planta que irá morrer. As bromélias atingem a maturidade e florescem em diferentes idades - de meses a dezenas de anos, dependendo da espécie e condições do ambiente, respeitando sempre uma determinada época do ano. Muitas vezes, uma planta não floresce em razão da falta de luminosidade ou outro fator ambiental como, por exemplo, a temperatura. Por outro lado, uma brusca mudança do ambiente pode provocar a floração numa planta adulta. A planta sente-se ameaçada e o instinto de preservação da espécie desencadeia a floração com a finalidade de gerar sementes e brotos laterais: tudo isso para assegurar a sua preservação.
Dependendo da espécie, algumas plantas apresentam inflorescência extremamente exuberante, podendo ser de longa duração. Algumas duram meses, como Aechmea fasciata e a Guzmania denise, outras são breves, duram dias, como muitas das Billbergias.


Fonte: Sociedade Brasileira de Bromélias: http://www.bromelia.org.br

ANTÚRIO


A flor do antúrio, na verdade, é bem pequena, alcançando o tamanho da cabeça de um alfinete. A parte colorida e exótica, que normalmente achamos que é a flor, na verdade é uma inflorescência, ou seja, o conjunto formado pela espádice - espiga onde brotam as minúsculas flores - e espata do antúrio - a bráctea colorida, ou a folha modificada. As verdadeiras flores do antúrio são os pontinhos amarelos que brotam na espiga.

Esta peculiaridade é um artifício da natureza: quando as flores são pouco significativas, a natureza produz folhas modificadas ou brácteas coloridas para atrair insetos e outros agentes polinizadores. Isso também ocorre com as flores do bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima) e da primavera (Bougainvillea spectabilis), por exemplo.

Mas o antúrio não impressiona apenas pela beleza da inflorescência. Suas folhas em formato de coração (codiformes), que variam de tamanho dependendo da espécie, são extremamente exóticas. Em algumas espécies, podem ser até mais atraentes que as inflorescências, bons exemplos disso são o Anthurium crystallium e o Anthurium magnificum que apresentam as nervuras em tons contrastantes, resultando em verdadeiros desenhos nas folhas.

Pertencente à família das Aráceas - que reúne cerca de 600 espécies, todas originárias da América Tropical - o antúrio é uma das espécies mais famosas da família. Suas espatas podem apresentar cores que vão do mais puro branco até o vermelho intenso, incluindo vários tons de rosa, salmão, verde e até marrom.

Algumas espécies são bem populares no Brasil, como o Anthurium andreanum - chamado de "paleta-de-pintor" e o Anthurium scherzeranum, conhecido como "flor-de-flamingo”, por apresentar a espádice recurvada, lembrando a forma do flamingo.

ALPÍNIA


Nome Científico: Alpinia purpurata
Sinonímia: Guillainia purpurata
Nome Popular: Alpínia, Gengibre-vermelho
Família: Zingiberaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Ilhas dos Mares do Sul
Ciclo de Vida: Perene
De porte médio, a alpínia é uma planta que combina muito bem com paisagens tropicais. Produz inflorescências belíssimas, com flores pequenas de coloração branca e brácteas vermelhas ou róseas, em hastes eretas. As folhas são ornamentais também. Muito rústica, esta planta também é utilizada como flor de corte.


Assim como outros gengibres, esta planta aprecia solos ricos em matéria orgânica e irrigados regularmente. Deve ser cultivada a pleno sol ou meia sombra. Multiplica-se por mudas que se formam nas brácteas ou por divisão das touceiras, tomando o cuidado de deixar uma boa parte de rizoma e folhas com cada muda. Não é resistente ao frio.



FONTE: http://www.jardineiro.net/br/banco/alpinia_purpurata.php

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

VIOLETA



Nome científico: Saintpaulia ionantha.
Segundo a tradição, é o símbolo da primavera. É a flor de vaso mais vendida no Brasil.

Fonte de referência:

Wikipedia - Enciclopédia livre
Enciclopédia Britânica

TULIPA



Originária da Turquia ou Pérsia, seu nome é inspirado no turbante (dulband) que lembra a forma da flor

Fonte de referência:

Wikipedia - Enciclopédia livre
Enciclopédia Britânica

MARGARIDA



Nome científico: Chrysanthemum leucanthemum
É originária de Pirineus (Europa Central).
Na mitologia romana, a ninfa Belides transformou-se nesta flor para escapar do assédio do deus da vegetação e das árvores frutíferas.
Conta uma lenda inglesa que uma fada alimentava um príncipe com comidas preparadas com esta flor para que ele nunca crescesse e nem perdesse a inocência infantil.


Fonte de referência:

Wikipedia - Enciclopédia livre
Enciclopédia Britânica

F L O R E S


As flores são usadas para decorações desde de o inicio pelos seres humanos , os japoneses desenvolveram uma técnica para fazer arranjos de flores em forma de arte, o Ikebana. A origem do ikebana pode ser devido ao costume de pôr flores sobre o altar de imagens budistas como uma forma de adoração.

Utilizamos as flores para presentear em datas importantes e comemorações. Cada flor tem um aroma, cor, e um significado em especial. Quando você oferece flores esta oferecendo um pouco do seus sentimentos em relação a pessoa que as recebe.


As flores simbolizam o amor, a pureza, a paz, a alegria encantam aos olhos e agradam com seus perfumes.


As flores sempre encantam com suas cores, formas e aromas variados, cultivadas em jardins, vasos ou em forma de arranjos e buques.
Oferecer uma flor pode ser um gesto simples, mas que carrega em si o verdadeiro sentido do amor.

Visite o site http://www.buques.com.br e saiba mais sobre flores

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

ORQUÍDEA - Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Plantas maioritariamente epífitas, as orquídeas (Família Orchidaceae), crescem geralmente em árvores usando-as somente como apoio para buscar luz. Não são plantas parasitas. Possuem muitas e variadas formas e cores, já que essa planta reproduz-se facilmente entre espécies semelhantes.

As folhas apresentam morfologia variada, mas são quase sempre alternas e dísticas. O caule pode muitas vezes se apresentar comprimido verticalmente e espessado, e é a isso que chamam pseudobulbo.

As flores são normalmente de simetria bilateral, com 3 sépalas e 3 pétalas (denominadas tépalas), das quais a dorsal, diferenciada, a que chamam labelo, é expandida, ou apresenta calos, ou possui padrões de cor diferentes.

Os órgãos reprodutivos (androceu e gineceu) encontram-se reduzidos e fundidos em uma estrutura central chamada coluna, ginostêmio ou androstilo. O número de estames varia entre as subfamílias: a apostasioidea possui três; a cypripedioidea dois, com o estame central modificado; as demais apresentam apenas o estame central funcional, com os dois outros atrofiados ou ausentes. Os grãos de pólen encontram-se agrupados em massas cerosas chamadas polínias. O estigma é normalmente uma cavidade na coluna, onde as polínias são inseridas pelo polinizador.
O ovário é ínfero, tricarpelar e possui até cerca de 1 milhão de óvulos.

O fruto é uma cápsula, que se abre quando seca para liberar sementes minúsculas e leves, cujo embrião não passa de um aglomerado de células. As espécies de Vanilla são as únicas com frutos carnosos e sementes grandes, os quais são usados para a obtenção de baunilha.

Pela sua estrutura reprodutiva, as orquídeas obrigatoriamente necessitam do auxílio de animais para o transporte de pólen ao órgão feminino de suas flores, uma vez que a massa polínica é pesada demais para ser levada pelo vento, e a parte receptiva do órgão feminino não é exposta o suficiente para recebê-la. Assim, as orquídeas selecionaram as estratégias mais fascinantes para promover a polinização. As flores podem possuir cores e aromas que atraem a atenção de polinizadores diversos, como abelhas, borboletas, mariposas diurnas e noturnas, morcegos, besouros e beija-flores. Sua forma e tamanho também correspondem ao tipo de polinizador

Estes são alguns dos gêneros mais cultivados dentre as orquídeas (há de se lembrar que ao clima de cada região, certas espécies de orquídea se adaptam melhor do que outras, de forma que a lista seguinte contém gêneros que podem prosperar em uma região mas não em outra):
Anguloa
Cattleya
Cymbidium
Laelia
Dendrobium
Phalaenopsis
Paphiopedilum
Oncidium
Vanda
Epidendrum
Brassia
Bulbophyllum
Catasetum
Sophronitis
Miltonia
Phaius

Advertência:

Todas as orquídeas nativas de Portugal (cerca de cinquenta espécies) são protegidas, por isso a sua colheita é ilegal.

ORQUÍDEAS - Etmologia


De acordo com as regras de nomenclatura botânica, o nome da família deve ser escrito em latim: Ochidaceae (derivado do grego Orchis).O Termo Orchis, que significa testículos, foi usado pela primeira vez por Theophrastus (c. 372 - 287 a.C.), filósofo grego, discípulo de Aristóteles. Theophrastus comparou as raízes tuberosas de algumas orquídeas mediterrâneas com os testículos humanos. Por este motivo, desde a Idade Média, propriedades afrodisíacas são atribuídas às orquídeas.

http://www.jbrj.gov.br/saibamais/orquideas/etimologia.htm

domingo, 27 de janeiro de 2008

MORANGO DO NORDESTE - Lairton

Estava tão tristonho quando ela apareceu
Teus olhos, que fascínio logo estremeceu
Os meus amigos falam que eu sou demais
Mas é somente ela que me satisfaz
É somente ela que me satisfaz
É somente ela que me satisfaz
Você só colheu o que você plantou
Por isso é que vos falam que eu sou um sonhador
Me diz o que ela significa pra mim
Se ela é um morango aqui do nordeste
Tú sabes, não existe sou cabra da peste

apesar de colher as batatas da terra com essa mulher
eu vou até pra guerra
Ai, é amor
Ai ai ai é amor
É amor

MORANGOS

Nome popular: Morangueiro

Nome científico: Fragaria vesca L

Família botânica: Rosaceae

Origem: Europa

Características da planta: Planta rasteira de pequeno porte. Folhas com-postas por 3 folíolos. Flores brancas ou róseas.

Fruto: Pequenos, agrupados em uma haste carnosa, de coloração vermelha quando maduros. Os pequenos pontos pretos e duros são na verdade os frutos do morangueiro, conhecidos popularmente como sementes. Frutifica de abril a agosto.

Cultivo: Necessita de sol e pouca umidade e solo silicoso, rico em matéria orgânica. Se multiplica através de moda vegetativa, pela divisão de estolhos que nascem ao redor da planta-mãe. Possui muitas variedades.

O morangueiro é planta da família das Rosáceas, a mesma à qual pertencem as maças, as pêras, os marmelos, as ameixas, os damascos, os pêssegos, as nêsperas, as cerejas, as ginjas (cassis, em francês), várias entre as incontáveis berries, e, ainda, a amêndoa. Fruta bonita e de aspecto bastante ornamental, a coloração vermelha do morango atua como forte excitante do desejo e dos prazeres do paladar. Por seu suave, delicado e sedutor sabor agridoce e por sua consistência sucosa e macia, os morangos são imbatíveis: como frutas, não há quem não os aprecie.

Os morangos, como diz Eurico Teixeira, são um verdadeiro "manjar de sobremesa" apenas lavados e puros, com açúcar, com creme de leite, com crome chantilly, com leite e açúcar, espargidos com suco de limão, com suco de laranja, com licores variados ou com água de rosas, mergulhados no vinho do Porto puro ou misturado com açucar ou, até mesmo, no vinagre doce. A história do morango pode ser considerada uma longa trajetória em busca do aprimoramento do sabor e do prazer. Segundo conta Pio Corrêa, embora existam espécies de morangos nativas na maioria das regiões temperadas, os frutos cultivados atualmente provêm do cruzamento e da união de várias espécies, entre as quais algumas encontradas apenas sob a forma silvestre nas Américas.

Embora, por toda a Europa, existam registros de que diferentes espécies de morangos silvestres já eram conhecidos e apreciados desde os tempos mais antigos, presume-se que essas frutas tenham sido levadas para cultivo em hortas caseiras apenas por volta do século XV. No entanto, apesar de fornecerem frutos de excelente qualidade e notável aroma, os morangos de então eram pequenos e sua produção era bastante irregular.

Atualmente, no Brasil como em quase todo o mundo, existem inúmeras variedades diferentes de morangos sendo cultivadas e, em geral, utilizam-se as mais adaptadas localmente. O Estado de São Paulo destaca-se como o maior produtor de morangos do país, sendo o extremo sul de Minas Gerais também um pólo considerável de cultivo da fruta.

Benefícios:- Excelente fonte de vitamina C.- Boa fonte de folato e potássio.- Poucas calorias e muitas fibras.- Possui bioflavonóides anticancerígenos.

Inconvenientes:- Pode provocar alergias.- Contém ácido oxálico,que reduz a absorção de minerais e pode agravar os problemas de pedras nos rins e na bexiga.



R O S A S - Cartola


Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão, enfim
Volto ao jardim Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar para mim
Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai
Devias vir Para ver os meus olhos tristonhos E,
quem sabe, sonhava meus sonhos
Por fim.

CIRANDA DA ROSA VERMELHA - Elba Ramalho


Composição: Alceu Valença – Adp. Folclore

Teu beijo doce
Tem sabor do mel da cana
Sou tua ama, tua escrava
Meu amorSou tua cana, teu engenho, teu moinho
Tu és feito um passarinho
Que se chama beija-flor
Sou tua cana, teu engenho, teu moinho
Tu és feito um passarinho
Que se chama beija-flor
Sou rosa vermelha
Ai! Meu bem querer
Beija-flor sou tua rosa
E hei de amar-te até morrer
Sou rosa vermelhaAi!
Meu bem querer
Beija-flor sou tua rosa
E hei de amar-te até morrer
Quando tu voas
Pra beijar as outras flores
Eu sinto dores
Um ciúme e um calor
Que toma o peito, o meu corpo
E invade a alma
Só meu beija-flor acalma
Tua escrava, meu senhor
Que toma o peito, o meu corpo
E invade a alma
Só meu beija-flor acalma
Tua escrava, meu senhor

R O S A S - ANA CAROLINA


Você pode me ver
Do jeito que quiser
Eu não vou fazer esforço
Prá te contrariar
De tantas mil maneiras
Que eu posso ser
Estou certa que uma delas
Vai te agradar...(2x)


Porque eu sou feita pro amor
Da cabeça aos pés
E não faço outra coisa
Do que me doarSe causei alguma dor
Não foi por querer
Nunca tive a intenção
De te machucar...


Porque eu gosto é de rosas
E rosas, de rosas
Acompanhadas de um bilhete
Me deixam nervosa...


Toda mulher gosta de rosas
E rosas, de rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...


Se teu santo por acaso
Não bater com o meu
Eu retomo o meu caminho
E nada a declarar
Meia culpa cada um
Que vá cuidar do seu
Se for só um arranhão
Eu não vou nem soprar...


sábado, 26 de janeiro de 2008

R O S A S


A cada cor está associado um significado diferente, alguns desses significados são:

Rosas Amarelas: amor por alguém que está a morrer ou um amor platónico
Rosas Brancas: reverência, segredo, inocência, pureza e paz
Rosas Champanhe: admiração, simpatia
Rosas Coloridas em tons claros: amizade e solidariedade
Rosas Coloridas, predominando as vermelhas: amor, paixão e felicidade
Rosas Cor-de-rosa: gratidão, agradecimento, o feminino (muitas vezes aparece simbolizando o útero (da mulher) em algumas culturas, como o
gineceu está para a cultura ocidental - ver cor-de-rosa)
Rosas Vermelhas: paixão, amor, respeito, adoração
Rosas Vermelhas com Amarelas: felicidade
Rosas Vermelhas com Brancas: harmonia, unidade.

MARGARIDA


De saia rodada...
Já sob a alvorada
A flor margarida...
Toda espivitada..
Floresce entre rosas
E flores altaneiras
Dentre todas elas...
É a mais companheira.
No orvalho fresquinho,
Entre a verde folhagem,
De tule branquinho,
É só simplicidade!
Flor pura criança...
É só bem me quer!
Não faz aliança,
Com nenhum mal me quer!
É felicidade...
De pouca vaidade,respinga nos campos,
Naturalidade...
Se vai para o vaso...
Contra sua vontade,
Padece ao ocaso...
Morre de saudade!

Rafaela Bosco


"As pessoas nascem com a forma de semente; podem tornar-se flores ou não.
Tudo depende de si, do que faz consigo; tudo depende de você crescer ou não.
A escolha é sua – e a cada momento é preciso enfrentar essa escolha; a cada momento você está numa encruzilhada.
Milhões de pessoas decidem não crescer.
Continuam a ser sementes; continuam a ser possibilidades, nunca se tornam realidades.
Elas não sabem o que é realizarem-se pelos seus próprios meios, não conhecem todo o seu potencial, não sabem nada acerca do ser.
Vivem completamente vazias, morrem completamente vazias."


Osho

OS GIRASSÓIS



Você já viu um Girassol?
Trata-se de uma flor amarela, muito grande, que gira sempre em busca do sol.
E é por essa razão que é popularmente chamada de Girassol.
Quando uma pequena e frágil semente dessa flor brota em meio a outras plantas, procura imediatamente pela luz solar.
É como se soubesse, instintivamente, que a claridade e o calor do sol lhe possibilitarão a vida.
E o que aconteceria à flor se a colocássemos em uma redoma bem fechada e escura?
Certamente, em pouco tempo, ela morreria.
Assim como os Girassóis, nosso corpo também necessita da luz e do calor solar, da chuva e da brisa, para nos manter vivos.
Mas não é só o corpo físico que precisa de cuidados para que prossiga firme.
O espírito igualmente necessita da luz divina para manter acesa a chama da esperança.
Precisa do calor do afeto, da brisa da amizade, da chuva de bênçãos que vem do alto.
Todavia, é necessário que façamos esforços para respirar o ar puro, acima das circunstâncias desagradáveis que nos envolvem.
Muitos de nós permitimos que os vícios abafem a nossa vontade de buscar a luz, e definhamos dia-a-dia como uma planta mirrada e sem vida.
Ou, então, nos deixamos enredar nos cipoais da preguiça e do amolentamento e ficamos a reclamar da sorte sem fazer esforços para sair da situação que nos desagrada.
É preciso que compreendamos os objetivos traçados por Deus para a elevação de seus filhos, que somos todos nós.E para que possamos crescer de acordo com os planos divinos, o criador coloca à nossa disposição tudo o que necessitamos.
É o amparo da família, que nos oferece sustentação e segurança em todas as horas...
A presença dos amigos nos momentos de alegria ou de tristeza a nos amparar os passos e a nos impulsionar para a frente.
São as possibilidades de aprendizado que surgem a cada instante da caminhada tornando-nos mais esclarecidos e preparados para decidir qual o melhor caminho a tomar.
Mas, o que acontece conosco quando nos fechamos na redoma escura da depressão ou da melancolia e assim permanecemos por vontade própria?
É possível que em pouco tempo nossas forças esmoreçam e não nos permitam sequer gritar por socorro.
Por essa razão, devemos entender que Deus tem um plano de felicidade para cada um de nós e que, para alcançá-lo, é preciso que busquemos os recursos disponíveis.
É preciso que imitemos o Girassol.
Que busquemos sempre a luz, mesmo que as trevas insistam em nos envolver.
É preciso buscar o apoio da família nos momentos em que nos sentimos fraquejar.
É preciso rogar o socorro dos verdadeiros amigos quando sentimos as nossas forças enfraquecendo.
É preciso, acima de tudo, buscar a luz divina que consola e esclarece, ampara e anima em todas as situações.
Quando as nuvens negras dos pensamentos tormentosos cobrirem com escuro véu o horizonte de tuas esperanças, e o convite da depressão rondar-te a alma, imita os Girassóis e busca respirar o ar puro, acima das circunstâncias desagradáveis.
Quando as dificuldades e os problemas se fizerem insuportáveis, tentando sufocar-te a disposição para a luta, lembra-te dos girassóis e busca a luz divina através da oração sincera.

GIRASSÓIS


Vincent van Gogh, 1889. Óleo sobre tela, 95.0 x 73.0 cm. Van Gogh Museum, Amsterdam.

COMO GIRASSÓIS


EX4

Composição: Max Bennett / Regis Bennett

Lembro toda vez quando passo por aqui
Neste mesmo caminho
Foi a primeira vez que meus olhos
Se encantaram por um sorriso
E como girassóis procurando pelo sol
Como um beija-flor procurando por você
Flores, flores pra lembrar você
Pra não te esquecer
Flores, flores pra lembrar você
Pra não te esquecer
Seu perfume doce entorpece meus sentidos
E eu fico feito menino
Brinco com você e se isso é amor
Quero este destino
E como borboletas procurando pelo céu
Como beija-flor procurando por você...