quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

EU TEMIA...

Eu temia ficar sozinha

Até que aprendi a GOSTAR DE MIM MESMA.

Eu temia fracassar
Até perceber que só fracasso se desistir.

Eu temia o que as pessoas pudessem pensar de mim
Até perceber que o que conta realmente é O QUE EU PENSO DE MIM MESMA.

Eu temia ser rejeitada
Até perceber que devo ter fé em mim mesma.

Eu temia a dor
Até perceber que o sofrimento só me ajuda a crescer.

Eu temia a verdade
Até descobrir a fealdade de uma mentira.

Eu temia a morte
Até aprender que a morte não é um fim mas um começo.

Eu temia o ódio
Até aprender que o ÓDIO É APENAS "IGNORÂNCIA"

Eu temia o ridículo
Até aprender a rir de mim mesma.

Eu temia ficar velha
Até compreender que ganho sabedoria a cada dia que passa.

Eu temia ser ferida nos meus sentimentos
Até aprender que NINGUÉM CONSEGUE ME FERIR SEM A MINHA PERMISSÃO.

Eu temia a escuridão
Até entender a luz e a beleza de uma estrela.

Eu temia mudanças
Até perceber as mudanças por que tem de passar uma bela borboleta antes de poder voar.

Acima de tudo aprendi que não vale a pena temer nada, pois vou enfrentar cada obstáculo à medida que aparecer na minha vida, com coragem e confiança pois...
No final existirá sempre mais uma esperança...
Se vivermos a vida sem temor!


No final sempre está Deus, que te ama.


(Desconheço o autor)


Twitter - @fatima_amorim
Facebook - https://www.facebook.com/mfamorim

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O GRANDE DIFERENCIAL


Twitter - @fatima_amorim
Facebook - https://www.facebook.com/mfamorim

MUITO OBRIGADO MEU ALUNO PROBLEMA!

Sua letra não é legível. Seu caderno não tem ordem ou capricho. A capa está arrancada, o dever incompleto, as orelhas se mutiplicam. Seu lápis, quando existe, nunca está apontado. Você se distrai com o ruído de uma mosca. É o último a responder as ordens, o primeiro a liderar o barulho. Se você levanta a mão, reluto em lhe dar a palavra - só vem besteira. Você brigou na rua, ou foram os tapas do seu pai, que já perdeu a paciência a muito tempo?
As avaliações são um pesadelo para você. E o resultado?
Ah! como eu gostaria de não ser professor, desistir de tudo para não enfrentar os seus olhos...onde a cada dia morre a esperança.
Eu já tentei tudo com você: bons modos, maus modos, gritos, chantagens... Exigi, insisti, gritei, implorei...
Você continua não respondendo a minha 'didática elaborada', a 'minha experiência de tantos anos'...
Por você me tornei insegura. Analisei os conteúdos, contestei a validade de alguns, aprofundei, condensei, revi meus critérios de avaliação.
Por você fiquei humilde. Achei pouco os meus recursos. Pedi ajuda. Comparei os meus instrumentos de aprendizagem. Discuti o assunto com os colegas. Fui ao supervisor...
Por você, estudei. Fui buscar conhecimentos que faltavam. Achei tempo para uma pesquisa mais elaborada das causas de seus problemas.
Por você, eu criei. Não me limitei ao já existente. Criei novas formas de abordagens de conteúdos, novas motivações, nova distribuição do tempo.
Por você, procurei conhecer uma "criança normal". Como ela pensa? Como ela age? O que ela tem que voce não tem? O que sobra em voce? O que falta?
Por você, revi meus conceitos de fracasso, de sucesso,de felicidade, de normalidade.
Por você me aceitei fracassada, limitada, deficiente, incapaz de fazê-lo aprender.
Eu passei a ser um problema também.
E, na minha angústia, eu entendi muito bem como você se sente.
Ai então, mudou você, ou mudei eu?



Autora:Elyanne Brasil

Twitter - @fatima_amorim
Facebook - https://www.facebook.com/mfamorim

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

BOB MARLEY

As Vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!
Bob Marley


Twitter - @fatima_amorim 
Facebook - https://www.facebook.com/mfamorim